SIDEBAR
»
S
I
D
E
B
A
R
«
O ABSTRACIONISMO
maio 21st, 2019 by Sardinha

Abstracionismo

Com a fotografia, a arte vai perdendo o seu compromisso com a realidade física. Passa a  ser antinaturalista. Daí a arte abstrata alterando os valores  formais, passando do concreto para o abstrato, para o subjetivo. O artista passa a expressar uma realidade interior.

Várias fases do Abstracionismo:

Der Blaue Reiter – “ O Cavaleiro Azul” – surge na Alemanha com Kandinsky e Franz Marc. Coloca na cor a sua expressividade maior. Aprofunda-se na pesquisa da cor, conseguindo variações espaciais e formais. Utilizando a forma, a cor e a linha, o artista expressa livremente seus sentimentos interiores, sem relação com o mundo exterior.

Suprematismo (1913) – supremacia das sensações puras. Criado pelo russo Malevitch, reduz as formas à pureza geométrica do quadrado.

Pesquisa dos efeitos perceptivos do quadrado negro sobre o campo branco nas ambíguas variações de fundo e forma, o Suprematismo tem no retângulo, no círculo, no triângulo e na cruz seus elementos. Pintura que tem como base formas geométricas tem raízes no Suprematismo.

O Suprematismo com Tatein e depois com Gabo recebe o nome de Construtivismo.

Neoplasticismo – desenvolvido por Mondrian, pintor holandês, que, tendo participado do cubismo, continuou simplificando suas formas para conseguir um resultado matematicamente proporcional entre as relações formais de um espaço estudado.

Seu elemento-base é uma superfície plana, retangular e as cores primárias – vermelho, amarelo e azul com pouco de preto e branco.

A arte do Neoplasticismo muito influenciou a arquitetura moderna.

Arte abstrata americana – nascida da fundação, em 1937, da Sociedade dos artistas abstratos, nos Estados Unidos, o Abstracionismo chega a criar um estilo bastante original. É a pintura de ação – “Action Painting” – pintura gestual, criada por Jackson Pollock. Trata-se de uma pintura caligráfica, baseada na escrita japonesa, resultado de um gesto, derramando a tinta na execução da obra.

Movimento Cobra – Fundado por Appel, na Holanda, é uma pintura gestual, livre, violenta na escolha das cores.

A abstração é a negação da representação tradicional figurativa, onde o importante é a criação a partir da imagem vista. O objeto desaparece e a obra deixa de ser uma referência objetiva.

O Abstracionismo trabalha tanto com a emoção como a razão. Ele busca chegar à essência da imagem e para tanto se liberta de todas as convenções representativas. A imitação cede espaço para a expressão de sentimentos, através de cores e linhas e os temas desaparecem, importando apenas os efeitos de tons e formas.

Os principais artistas abstratos foram Kandinsky, que partiu das propostas do expressionismo, Malevitch  que baseou-se na simplificação do Fauvismo e Mondrian que estruturou suas composições a partir das propostas de geometrização do cubismo.

 

O FAUVISMO
maio 17th, 2019 by Sardinha

      Este movimento teve início em 1905, em Paris, no salão de Outono, e seu ponto de partida foi à busca da simplicidade nas estruturas da composição.

A construção de rostos e objetos eram estruturados a partir de poucos e simples elementos.  Os fauvistas eram impacientes com a sutileza, buscando sempre a utilização de cores intensas e harmonias audaciosas.  Usando cores puras, violentas, a pintura “fauve” preconiza a liberdade na interpretação da natureza. O artista cria um mundo de cores novas e originais

Usavam contornos simples e cores vivas, primárias e saturadas. O espaço era determinado pela cor, uma vez que o uso de luz para estabelecer a profundidade havia sido abolido. Os artistas procuravam retratar as sensações através da estilização das formas.

O fauvismo pode ser considerado de fundamental importância para a efetivação do Abstracionismo. Os principais artistas que participaram deste movimento foram Henri Matisse e Vlaminck. O nome foi dado pelo crítico Louis Vauxcelles. O Fauvismo tem Gauguin como seu precursor.

 

O CUBISMO
maio 17th, 2019 by Sardinha

O CUBISMO

      O  Cubismo, o primeiro dos novos movimentos artísticos do século XX, foi um movimento decisivo na história da arte. Era uma nova maneira de representar o tema de uma pintura.

Ao longo dos tempos, os artistas tentaram solucionar o problema da representação do mundo tridimensional na superfície plana de uma tela ou painel. A partir do século XV, eles vinham obedecendo às regras do desenho em perspectiva, segundo as quais as coisas em primeiro plano são maiores e as coisas distantes, menores. Com isso, dava-se uma ilusão de profundidade aos quadros. Mais tarde, no século XIX, o artista francês Paul  Cézanne experimentou um novo método. Estudou cuidadosamente a paisagem natural, identificando as formas geométricas em casas, árvores ou montanhas, mas vendo-as não necessariamente de um único ponto de vista. Talvez seja isso o que verdadeiramente ocorre na visão comum, na qual os olhos das pessoas nunca permanecem imóveis. Então Cézanne redistribuía essas formas numa composição dos objetos que queria descrever. O olhar do espectador reconhece as formas separadas, mas a paisagem total é agrupada na mente. Esse é um processo que ocorre sempre que olhamos para as coisas, mas constitui uma nova maneira de organizar uma pintura, com o abandono da perspectiva tradicional. Em 1904, realizou-se em Paris  uma grande exposição da obra de Cézanne. Causou um enorme impacto e encorajou os jovens pintores a procurarem novas idéias. Ao mesmo tempo, eram expostas obras de Vicent van Gogh e Paul Gauguin, e a simplicidade e força de seus trabalhos fizeram com que as atenções dos artistas se voltassem para os primórdios da arte. Surgiu um novo interesse pela arte africana e pelas pinturas rupestres. Os artistas, porém, passaram a olhar com admiração a força e a simplicidade de objetos cerimoniais primitivos, buscando neles renovação e inspiração na arte africana.

O artista que pintou o primeiro quadro cubista, o espanhol Pablo Picasso, foi um dos primeiros a voltar-se para o passado pré-histórico.

Quando Georges Braque viu pela primeira vez a obra de Picasso, ficou atônito. Braque abandonou a perspectiva e construiu formas com cores. Iluminou cada forma separadamente, em vez de representar uma paisagem onde a luz provém de um só ponto.

Assim, Braque e  Picasso tinham algo em comum: ambos estavam substituindo a perspectiva tradicional e sua ilusão de três dimensões por um espaço pictórico bem menos profundo. Mostravam figuras e objetos como se estes fossem puxados para a superfície da tela.

O Cubismo divide-se em fases:

FASE TRANSIÇÃO : 1ª       FASE 1907 –  1909  – Picasso e Braque trabalham sobre influência de Cézanne. Toda a ilusão de profundidade foi eliminada e os elementos da cena foram trazidos para diante , empilhados como objetos numa caixa.

CUBISMO ANALÍTICO: 2ª fase 1909-1911 – caracterizado pela desestruturação da obra em todos os seus elementos. Decompondo a obra em partes, o artista registra todos os seus elementos em planos sucessivos e superpostos, procurando a visão total da figura, examinando-a em todos os ângulos no mesmo instante, através da fragmentação dela. A superposição das formas coloca o tempo na pintura. Neste momento é criado no cubismo a quarta dimensão, a inclusão do tempo na obra de arte. O tema, torna-se ainda menos importante. Escolhido o tema, conceberam a idéia de vê-lo de todos os lados e, depois, apresentarem  todas essas facetas simultaneamente numa só imagem.

CUBISMO SINTÉTICO: 3ª FASE 1911 -1916 – Tornando menos fragmentada a decomposição das formas, o cubismo passa à fase sintética. As formas reunidas formam uma síntese de elementos. A figura é dividida em planos, segmentos e zonas de cor numa escala de tons. O movimento e a simultaneidade perdem seu valor. Vê-se a figura apenas de um ângulo. Entretanto há mais riqueza de cor. Encontramos letras, palavras inteiras, números e ocasionalmente objetos reais introduzidos em pinturas.

O PÓS-IMPRESSIONISMO, PONTILHISMO E EXPRESSIONISMO
maio 7th, 2019 by Sardinha

PÓS IMPRESSIONISMO

Movimento de transição, onde os artistas considerados pós-impressionistas buscaram inicialmente os mesmos princípios impressionistas, mas que se destacaram por ampliar suas pesquisas de composição e cromáticas, na busca de novas representações. Paul Cézanne defendeu ser possível se evidenciar, na natureza, formas geométricas de cones, esferas e cilindros e suas pesquisas foram de fundamental importância para o desenvolvimento do Cubismo. Paul Gaguin buscou a simplificação das formas e das cores e seus estudos resultaram no Fauvismo. Vicent Van Gogh usou a arte para expressar seu estado emocional, abrindo espaço para o desenvolvimento do Expressionismo.

PONTILHISMO

O pontilhismo, também chamado Divisionismo, surgiu por volta de 1884 como reação ao impressionismo. Baseou-se no processo de pintar por pequenas manchas ou pontos aplicados próximos uns aos outros, geralmente com o emprego de cores puras. As cores resultantes e a definição das figuras são obtidas pela mistura óptica das cores aplicadas.

Seraut foi um artista que trabalhou este estilo, partindo da pesquisa científica da composição da imagem e das cores. Teve como pressuposto a composição da imagem gráfica, formada por uma junção infinita de pequenos pontos de cores. O artista se apropriou desta técnica mecânica e transportou-a para a tela, realizando diversos estudos para sua composição, alterando tamanhos de pontos até chegar ao objeto representado. Para conseguir melhor resultado plástico simplificava as formas humanas e vegetais em estruturas geométricas.

Expressionismo

Movimento artístico surgido em Munique, a partir de 1910, propondo a arte como a expressão do mundo interior do artista. Seu criador é o grupo “Die Brucke” ( a ponte ).  Explorava a expressividade da imagem vista, distorcendo a figura se necessário.

Utilizava-se de cores fortes, contornos abruptos, atmosfera densa e carregada, quase irreal.  Trata-se de uma pintura dramática, subjetiva, “expressando sentimentos humanos”. O retrato de um mesmo local ou figura humana poderia variar de acordo com o sentimento existente.

Os artistas trabalhavam as impressões sensoriais e o público se sentia incomodado, pois o expressionismo acarretou o distanciamento da beleza. Os expressionistas acreditavam que a insistência na harmonia e beleza estava ligado a uma recusa da sinceridade. O movimento é caracterizado pelo trabalho de Edvard Munch, Van Gogh, James Ensor e Oskar Kokoschka dentre outros.

É importante ressaltar o caráter expressionista do trabalho de Cândido Portinari no Brasil, na fase em que se dedicou à representação dos retirantes nordestinos, assim como o trabalho dos muralistas mexicanos Siqueiros, Orozco e Rivera, que trataram dos problemas sociais de sua terra.

O IMPRESSIONISMO
maio 7th, 2019 by Sardinha

O Impressionismo

       Refletindo um estilo que inicia as pesquisas modernas , aliadas aos valores plásticos da arte , o Impressionismo reflete também a transitoriedade e as mudanças que ocorrem no mundo físico na criação artística .

O Impressionismo propõe-se a :

–  captar , pela observação , as constantes modificações que a luz solar produz na natureza ;

–  aplicar nas artes as teorias de Chevreul e Helmholtz , no campo da ótica ;

–  registrar os instantâneos , os movimentos fugazes  , as variações da luz que produzem a variabilidade da cor na natureza.

Para tanto , o artista deixa o ateliê e pinta ao ar livre .

Como precursores do movimento podemos citar os ingleses Constable e Turner , que pintaram paisagens de Londres sob o efeito do nevoeiro .

Sob a influência deles , Monet e Manet iniciam o movimento .

O nome vem do crítico Louis Leroy quando contemplava um quadro de Monet  –  Impressão do sol nascente   –  numa exposição em que figuravam , além de Monet , Renoir , Cézanne , Pissarro e outros .

Louis Leroy ridicularizava , na ocasião , a tela  , dizendo que ela se contentava em dar apenas  “ Impressão “  de uma realidade .

O Impressionismo apresenta  as seguintes características :

–  diluição de contornos pelo efeito da luz difusa sobre o objeto ou paisagem

–  distinção da forma espacial pela cor ou mancha de luz projetada sobre o objeto :  por isso, ausência de efeito linear .

–  não há cor local e imutável : as mutações da luz  mudam as cores de um determinado objeto  e as aparências cromáticas são determinadas pela             incidência de luz projetada ;

–  pintura de efeitos luminosos da natureza ;

–  transformação das figuras em massas coloridas ( o que realmente interessa são as modificações que a luz vai produzir nelas );

–  menos profundidade no espaço e leve cor transparente .

O impressionismo foi fundamentado na decomposição óptica das cores, ou seja, tinha um caráter científico. O objetivo era transmitir a impressão do que se vê e, para isto, a sensação tornou-se o ponto de partida. O estilo encontrou em cada artista uma interpretação diferente, sendo que o único ideal, que os unia, era o de captar a imagem vista como se fosse um instantâneo. O movimento teve como marco inicial o ano de 1874.

Os artistas acabaram com as regras de composição do ateliê e buscaram a elaboração de uma pintura que representava a impressão visual momentânea e flagrante. Captaram as impressões de luz, cor e forma, diluindo os contornos e abolindo os tons sombrios. Aplicaram o conceito da mistura óptica das cores, desenvolveram o gosto pelos tons claros e a aversão pelo preto, trabalharam com contrastes de cores e acabaram com o delineamento das formas, deixando as marcas do pincel expressas na tela.

O impressionismo nos chamou a atenção para o fato que, ao observarmos uma imagem ao ar livre, não vemos elementos individuais e sim uma brilhante mistura de matizes que se combinam em nossa mente. Para captar a imagem passageira, os pintores tinham que trabalhar em pinceladas rápidas, o que muitas vezes tornava a imagem de difícil visualização. Levou tempo para o público perceber que só ao olhar de longe é que se pode entender um quadro impressionista.

A natureza foi para os impressionistas o meio de percepção de uma nova realidade, onde passaram a evidenciar o caráter eminentemente visual da pintura, a análise e decomposição das cores através da presença da luz e a concepção dinâmica do universo. Devido à observação da natureza, os impressionistas perceberam que as sombras são luminosas, que a linha é uma abstração humana e que a forma é dada pela cor.

Um dos elementos que facilitou o desenvolvimento e a aceitação do impressionismo foi a fotografia, que ajudou a descobrir o encanto da cena fortuita e do ângulo inesperado, impulsionando os artistas para novas explorações. Outro elemento foi a aprendizagem de uma nova forma de visualizar o mundo, evidenciada através da cromotipia japonesa que chegava aos franceses nas embalagens de caixas de chá.

Na arte oriental, temas simples do cotidiano sempre foram objetos de representação. O oriental sempre viu nas coisas simples a essência da vida, enquanto o homem do ocidente manteve sua predileção por temas nobres, heróicos ou históricos. A partir do impressionismo, esta visão se alterou e o artista aprendeu com o oriental a observar a vida a partir de outros prismas.

O REALISMO
maio 7th, 2019 by Sardinha

O REALISMO

O movimento que dominou  a segunda metade do século XlX ,o Realismo coincide com o cientificismo , valorizando o objetivo , o sóbrio, o minucioso , expressão da realidade e dos aspectos descritivos .

Na arquitetura , os artistas se beneficiam do extraordinário avanço da técnica , e de materiais até então inexplorados , como o vidro  ,o ferro , o concreto armado .

Na Inglaterra se faz a primeira ponte de estrutura metálica , a ponte de ferro sobre o rio Severn, construída pelo inglês Wilkinsom, em 1755.

Em 1843, o francês Labrouste faz com ferro e aço a cobertura do salão da Biblioteca Santa Genoveva , em Paris .

Em 1851, em Londres , o Inglês Paxton faz o monumental “ Palácio de cristal “, em ferro e vidro .

Em 1889, Gustavo Eiffel levanta , em Paris , a famosa torre , hoje logotipo da “ cidade Luz”.

Em Chicago é construído o primeiro arranha – céu , pelo engenheiro Jenney , o “Home Insurance Building”.

Na escultura , o francês Rodin é o principal nome . Sua estátua de São João Batista demonstra o realismo e a técnica que levam o autor a ser considerado o iniciador da escultura moderna .

Na pintura, a “Escola de Bartizon “marca a passagem do Romantismo para o Realismo . Nela encontramos também os percursores do impressionismo e da arte moderna .

Pregava a valorização das possibilidades artísticas de representar a realidade. Neste movimento, os artistas optaram por representar as imagens do cotidiano de um modo real, aproveitando as sensações da luz e da cor. Os temas utilizados foram os populares, ligados à realidade visível e ao presente. Dentre os pintores realistas destacaram-se Corot, Courbet, Millet e Daumier.

Os arquitetos do período encaravam os novos materiais surgidos com a industrialização, como possibilidades de inovações na estrutura dos edifícios, mas eram incapazes de dar-lhes formas coerentes, o que resulta em composições de características ecléticas.

O século XIX foi marcado por descobrimentos técnicos e a industrialização exerceu influência em todos os campos. A arte se adaptou aos métodos de observação objetiva da ciência e tinha a ambição de resolver o problema social decorrente dos progressos mecânicos.

O ROMANTISMO
maio 7th, 2019 by Sardinha

O ROMANTISMO

     O Romantismo foi um movimento artístico e filosófico, de grande importância pelas mudanças que provocou no campo da criação. Pela primeira vez até então o artista não procurou representar os padrões de beleza consagrados, mas procurou antes de tudo exprimir os seus sentimentos. Buscou a liberdade individual. O romântico fugiu do contato com a realidade, deixando a visão subjetiva prevalecer. Considerou desumano o processo industrial, a preocupação com o lucro, a busca do máximo aproveitamento do tempo de trabalho e o acúmulo de capital. Para expressar sua desilusão se concentrou em temas de amores infelizes , cenas de loucuras, traições e tumultos passionais. Em outras ocasiões, na fuga da realidade, o artista optou por se concentrar nas representações da natureza, como sendo a salvação para o homem do período industrial, ou ainda por um apego a momentos passados, evocando o saudosismo de um momento não vivenciado. Este apego ao passado foi evidenciado nas soluções arquitetônicas do período, onde o período gótico foi visto como uma solução racional. Apareceu então o neogótico. As regras fixas e definidas deixaram de ser usadas, tanto na pintura como na escultura, mas foi na pintura que o movimento mostrou os seus grandes mestres: os franceses Gericault e Delacroix e os ingleses Constable e Turner e o espanhol Francisco de Goya.

Como resumo podemos definir o movimento apresentando  características  variadas : um acentuado subjetivismo , imaginação criadora , inspiração , volta ao passado ,valorização das coisas da terra ,  dos heróis, dos feitos , senso de mistério , valorização do sobrenatural . O Romantismo explode no primeiro quartel do século XlX .

O artista romântico cultua  a natureza , pois ela representa um motivo constante para as suas evasões , para suas meditações , um lugar de refrigério para a imaginação .

Na pintura , a liberdade de composição se revela na exuberância da cor , nos contrastes de luz e sombra , num retorno ao Barroco , nas pinceladas livres , irregulares .

Na arquitetura , revaloriza-se o gótico , o estilo considerado genuinamente europeu .

Na escultura , o dinamismo e o domínio da massa caracterizam o movimento , como se vê no francês Rude, autor de A  Marcelhesa   –  Grupo em alto – relevo no arco do Triunfo de Paris .

No folclore , o Romantismo descobre o rico e imenso  tesouro com que firma o nacionalismo .

FECHAMENTO DO BIMESTRE E ROTEIRO PARA O TRABALHO DE PESQUISA E PRÁTICO
mar 16th, 2019 by Sardinha

Fechamento do bimestre e Roteiro do trabalho – 2º ano ENSINO MÉDIO 16/03/19 – ARTES – 1º BIMESTRE 2019

 

1- FECHAMENTO DO BIMESTRE:

 INSTRUMENTOS:

 I – Textos – O que é Arte? , O que é Cultura? ,  O que é Sociedade? , Arte : Egípcia, Grega, Romana, Paleocristã I/II, Bizantina, Românica, Gótica, Renascentista, Barroca e Neoclássica.  – 0,5 ponto

II – Pesquisa – 1,5 pontos

III-  Prático    – 2,5 pontos

IV – Avaliação Escrita – 5,0 pontos

V – Atitudinal – 0,5 ponto

 2- INSTRUMENTO II: PESQUISA

 Tema: Estudo da Arquitetura Clássica e Religiosa

 Objetivo: Pesquisar as características e elementos principais da arquitetura dos períodos: Grécia, Roma, Bizantino, Românico, Gótico, Renascimento, Barroco e Neoclássico. O trabalho deverá ser montado da seguinte forma:

Desenvolvimento:

a) Utilizar o programa PowerPoint para apresentação do trabalho;

b) Slide 1: Capa do trabalho contendo: nome completo, turma, data, nome da escola e tema do trabalho;

c) Slide 2: Inserir uma imagem da arquitetura Grega e indicar as características pertinentes a mesma. Indicar referência da imagem (nome e data da construção);

d) Slide 3: Inserir uma imagem da arquitetura Romana e indicar as características pertinentes a mesma. Indicar referência da imagem (nome e data da construção);

e) Slide 4: Inserir uma imagem da arquitetura Bizantina e indicar as características pertinentes a mesma. Indicar referência da imagem (nome e data da construção);

f) Slide 5: Inserir uma imagem da arquitetura Românica e indicar as características pertinentes a mesma. Indicar referência da imagem (nome e data da construção);

g) Slide 6: Inserir uma imagem da arquitetura Gótica e indicar as características pertinentes a mesma. Indicar referência da imagem (nome e data da construção);

h) Slide 7: Inserir uma imagem da arquitetura Renascentista e indicar as características pertinentes a mesma. Indicar referência da imagem (nome e data da construção);

i) Slide 8: Inserir uma imagem da arquitetura Barroca e indicar as características pertinentes a mesma. Indicar referência da imagem (nome e data da construção);

j) Slide 9: Inserir uma imagem da arquitetura Neoclássica e indicar as características pertinentes a mesma. Indicar referência da imagem (nome e data da construção);

k) Data de envio do trabalho: até as 00:00 h do dia 30/03/19

OBS: Meio de envio: e-mail – berg.sardinha@bol.com.br

3– INSTRUMENTO III: – TRABALHO PRÁTICO

Tema Geral: “Conhecendo a cidade que vivo”

Tema Central: Arquitetura em Porto Real

Movimentos estudados:  Grécia, Roma, Bizantino, Românico, Gótico, Renascimento e Neoclássico.

Objetivo: Estudar as características dos movimentos acima citados na arquitetura apresentada nas construções em Porto Real.

Desenvolvimento:

1) Registrar através de fotografia fragmentos e elementos da arquitetura dos movimentos artísticos Grécia, Roma, Bizantina, Românico, Gótico, Renascimento e Neoclássico encontrados em construções ao longo da cidade;

2) Após o registro fotográfico, utilizar o PowerPoint para armazenar os mesmos da seguinte forma:

a) Slide 1 – Capa do trabalho contendo: nome completo, turma, data, nome da escola e tema do trabalho;

 b) Slide 2 – Inserir o registro fotográfico extraído da observação de construções existentes na cidade de Porto Real referente a elementos da arquitetura Grega, Romana, Renascentista e Neoclássica. Indicar com seta o nome técnico do elemento observado. Mínimo três elementos;

 c) Slide 3 – Inserir o registro fotográfico extraído da observação de construções existentes na cidade de Porto Real referente a elementos da arquitetura Bizantina, Românica e Gótica. Indicar com seta o nome técnico do elemento observado. Mínimo três elementos;

 d) Slide 4Conclusão do trabalho – Texto explicativo relatando a experiência adquirida referente as visitas e observações das construções, mencionando o nome da construção observada, data da visita e pequena história da construção estudada.

3) Os trabalhos serão em grupo, seguindo o critério abaixo:

2001 – Dividir a turma em 6 grupos de 4 alunos e 1 grupo de 3 alunos = 7 grupos

2002 – Dividir a turma em 5 grupos de 4 alunos e 1 grupo de 6 alunos = 6 grupos

2003 – Dividir a turma em 6 grupos de 4 alunos e 1 grupo de 3 alunos = 7 grupos

OBS: O mesmo grupo fará os trabalhos de pesquisa e prático.

4) Data de envio do trabalho: até as 00:00 h do dia 30/03/19

5) Meio de envio: e-mail – berg.sardinha@bol.com.br

4- INSTRUMENTO IV:  AVALIAÇÃO ESCRITA – Conteúdo:

  1. O que é cultura?
  2. O que é Arte?
  3. O que é Sociedade?
  4. História da arte – Primitivo até neoclássico (todos os textos)

5- INSTRUMENTO V: Avaliação atitudinal

  1. A) Assiduidade – 0,1 décimo
  2. B) Responsabilidade/Comprometimento – 0,2 décimos
  3. C) Comportamento – 0,2 décimos
O QUE É SOCIEDADE
mar 16th, 2019 by Sardinha

O que é Sociedade:

Sociedade é um conjunto de seres que convivem de forma organizada. A palavra vem do Latim societas, que significa “associação amistosa com outros”.

As sociedades humanas são objeto de estudo da Sociologia e da Antropologia, enquanto as sociedades animais são estudadas pela Sociobiologia e pela Etologia.

O conceito de sociedade pressupõe uma convivência e atividade conjunta do homem, ordenada ou organizada conscientemente. Constitui o objeto geral do estudo das antigas ciências do estado, chamadas hoje de ciências sociais. O conceito de sociedade se contrapõe ao de comunidade ao considerar as relações sociais como vínculos de interesses conscientes e estabelecidos, enquanto as relações comunitárias se consideram como articulações orgânicas de formação natural.

Uma sociedade humana é um coletivo de cidadãos de um país, sujeitos à mesma autoridade política, às mesmas leis e normas de conduta, organizados socialmente e governados por entidades que zelam pelo bem-estar desse grupo.

     Os membros de uma sociedade podem ser de diferentes grupos étnicos. Também podem pertencer a diferentes níveis ou classes sociais. O que caracteriza a sociedade é a partilha de interesses entre os membros e as preocupações mútuas direcionadas a um objetivo comum.

O termo sociedade também pode se referir a um sistema institucional formado por sócios que participam no capital de uma empresa, por exemplo, sociedade anônima, sociedade civil, sociedade por cotas, etc. Nesta vertente de negócios, uma sociedade é um contrato pelo qual duas ou mais pessoas se obrigam a contribuir com bens ou serviços para o exercício em comum de certa atividade econômica, a fim de repartirem os lucros resultantes dessa atividade.

Um grupo de pessoas com interesses comuns, que se organizam em torno de uma atividade, obedecendo a determinadas normas e regulamentos, também se denomina sociedade, por exemplo: sociedade de física, sociedade de comerciantes, etc.

O QUE É CULTURA?
mar 16th, 2019 by Sardinha

                                                                                             O que é Cultura:
Cultura significa cultivar, e vem do latim colere. Genericamente a cultura é todo aquele complexo que inclui o conhecimento, a arte, as crenças, a lei, a moral, os costumes e todos os hábitos e aptidões adquiridos pelo homem não somente em família, como também por fazer parte de uma sociedade como membro dela que é.
Cada país tem a sua própria cultura, que é influenciada por vários fatores. A cultura brasileira é marcada pela boa disposição e alegria, e isso se reflete também na música, no caso do samba, que também faz parte da cultura brasileira. No caso da cultura portuguesa, o fado é o patrimônio musical mais famoso, que reflete uma característica do povo português: o saudosismo.
Cultura na língua latina, entre os romanos tinha o sentido de agricultura, que se referia ao cultivo da terra para a produção, e ainda hoje é conservado desta forma quando é referida a cultura do soja, a cultura do arroz etc.
Cultura também é definida em ciências sociais como um conjunto de ideias, comportamentos, símbolos e práticas sociais, aprendidos de geração em geração através da vida em sociedade. Seria a herança social da humanidade ou ainda de forma específica, uma determinada variante da herança social. Já em biologia a cultura é uma criação especial de organismos para fins determinados.
A principal característica da cultura é o mecanismo adaptativo que é a capacidade, que os indivíduos tem de responder ao meio de acordo com mudança de hábitos, mais até que possivelmente uma evolução biológica. A cultura é também um mecanismo cumulativo porque as modificações trazidas por uma geração passam à geração seguinte, onde vai se transformando perdendo e incorporando outros aspetos procurando assim melhorar a vivência das novas gerações.
O conceito de cultura organizacional remete para o conjunto de normas, padrões e condições que definem a forma de atuação de uma organização ou empresa.
A cultura é um conceito que está sempre em desenvolvimento, pois com o passar do tempo ela é influenciada por novas maneiras de pensar inerentes ao desenvolvimento do ser humano.

                         Cultura na Filosofia
De acordo com a filosofia a cultura é o conjunto de manifestações humanas que contrastam com a natureza ou o comportamento natural. É uma atitude de interpretação pessoal e coerente da realidade, destinada a posições suscetíveis de valor íntimo, argumentação e aperfeiçoamento. Além dessa condição pessoal, cultura envolve sempre uma exigência global e uma justificação satisfatória, sobretudo para o próprio. Podemos dizer que há cultura quando essa interpretação pessoal e global se liga a um esforço de informação no sentido de aprofundar a posição adotada de modo a poder intervir em debates. Essa dimensão pessoal da cultura, como síntese ou atitude interior, é indispensável.

                        Cultura na Antropologia
Cultura na antropologia é compreendida como a totalidade dos padrões aprendidos e desenvolvidos pelo ser humano. A cultura como antropologia tem como objetivo representar o saber experiente de uma comunidade, saber obtido graças à sua organização espacial, na ocupação do seu tempo, na manutenção e defesa das suas formas de relação humana. Estas manifestações constituem aquilo que é denominado como a sua alma cultural, os ideais estéticos e diferentes formas de apresentação.

                          Cultura Popular
A cultura popular é algo criado por um determinado povo, sendo que esse povo tem parte ativa nessa criação. Pode ser literatura, música, arte etc. A cultura popular é influenciada pelas crenças do povo em questão e é formada graças ao contato entre indivíduos de certas regiões

SIDEBAR
»
S
I
D
E
B
A
R
«
»  Substance: WordPress   »  Style: Ahren Ahimsa